Tinteiros e toners baratos

|

Envio e Devolução GRÁTIS* desde 40 € (envio standard 3,95 €)

Como tomar notas para estudar

Como tomar notas para estudar

Bom notas garantem o sucesso no exame, mas quantas vezes terminou uma aula e quando verifica o que escreveu vê que não entende absolutamente nada? Acompanhar o ritmo obriga-nos a ir tão depressa que a caligrafia ilegível, frases sem sentido e palavras que escrevemos mas não sabemos de onde vêm são o mais comum nas nossas notas. Para evitar isto, vamos dar-lhe as chaves para fazer das suas notas a inveja dos seus colegas de turma. Se os empresta ou não, depende de si.

Porquê tomar notas para estudar?

As notas têm muitas vantagens, mas a principal delas é que <é forte>ajudá-lo-á a concentrar-se no que lhe estão a dizer, tentando extrair o que é importante ao mesmo tempo. Desta forma, não só estará a meio caminho quando estudar, pois saberá do que se trata o assunto e quais são os conceitos fundamentais, como também desenvolverá a sua capacidade de sintetizar, aperfeiçoar a sua compreensão>e poupar muito tempo, pois já está a estudar enquanto toma notas.

Tirar boas notas é, como quase tudo o resto, uma questão de prática. A primeira coisa a fazer é prestar toda a atenção para compreender do que o professor está a falar e o que o professor está a enfatizar. Lembre-se também que

O problema surge quando não somos obviamente capazes de escrever ao mesmo ritmo que o professor fala. Por esta razão, devemos seguir uma série de dicas para tomar notas de uma forma mais ágil, registando o que é importante de uma forma organizada, pelo menos para que quando chegar a altura de limpar as nossas notas possamos compreender o que temos escrito.

Usar símbolos e abreviaturas

Uma pessoa que tenha enviado mensagens de texto antes do advento do WhatsApp saberá do que estamos a falar. Trata-se de economizar na dactilografia para ser mais rápido e poupar tempo e espaço. Existem abreviaturas universais, tais como os sinais mais e menos (+, -) e palavras que pode compreender mesmo que as encurte, tais como também (tb), que (q,) porque (xp), para (xa), número (nº) ou etc. (etc.).

Utiliza as tuas próprias palavras

Se usar uma linguagem simples, coloquial e simples com a qual está familiarizado, escreverá mais depressa e compreenderá melhor a sua escrita. A utilização das suas próprias palavras no exame também mostrará que sabe do que está a falar e que não memorizou o texto sem compreender uma palavra do mesmo.

Frases curtas são melhores do que frases longas

Frases que sejam demasiado longas irão facilitar-lhe perder a noção do que lhe estão a dizer. Usar frases curtas, simples e legíveis. Também é importante deixar espaço entre os parágrafos e não amontoar informação.

Organização é a chave

Apanhamos aqui onde parámos no ponto anterior: separando correctamente os parágrafos. Para compreender as suas notas quando começar a estudar é importante que elas estejam bem organizadas. Sempre utilize cabeçalhos e subtítulos que dividem a informação e deixe espaços em branco no caso de precisar de adicionar ou completar notas mais tarde. A clareza é muito importante, ou seja, que num relance se saiba qual é a ideia principal, que frases desenvolvem a explicação e que se possa identificar rapidamente a que tópico pertence o que se está a estudar.

Utilizar contornos, cores ou títulos

As linhas, cores e cabeçalhos ajudam a dividir e a priorizar a informação. Por exemplo, escrever todos os títulos a vermelho e todos os subtítulos a verde ajudá-lo-á a identificar, num relance, o que está a ler. Também faça uso de esboços, mapas conceptuais, desenhos ou qualquer outra coisa que o ajude a organizar a informação.

Utilizar setas e marcar o que o professor indica ser importante

Isto não é ditado pela escola primária, por isso há algumas coisas que não se deve anotar. No entanto, quando o professor indicar que algo é importante, que algo é susceptível de cair no exame, ou usar qualquer outra expressão como "isto precisa de ser dominado", indique-o correctamente nas suas notas usando símbolos ou setas. As setas são também muito úteis para marcar a relação entre conceitos.

Para resumir, aqui estão as dicas mais importantes para boas notas:

  • Claridade e organização: usar títulos, subtítulos, títulos e cores diferentes para dividir e dar prioridade à informação, destacando os conceitos mais importantes. Separar bem os parágrafos e deixar espaço branco.
  • Abreviações, símbolos e setas: essencial para poupar tempo de escrita e para relacionar conceitos.
  • Frases curtas e palavras coloquiais: se usar a sua própria língua, compreenderá melhor o assunto e internalizá-lo-á mais facilmente.
  • Prestar muita atenção às frases do professor: expressões como "resumir...", "concluir...", "é importante dominar...". Escreva qualquer coisa que venha depois de uma destas expressões e marque-a a vermelho, porque é muito provável que caia no exame.
  • Achoque os exemplos: muitas pessoas pensam que são dispensáveis e que é melhor ater-se apenas à teoria. Errado! Os exemplos são uma parte fundamental das explicações.

As melhores técnicas de tomada de notas

O seu método de tomar notas pode sempre ter funcionado bem para si e não tem intenção de mudar, mas se alguma vez se perguntou se existe uma forma mais eficaz de tomar notas, aqui estão as técnicas que os especialistas descobriram ser mais eficazes para os estudantes.

O Método Cornell

O método Cornell é um dos métodos mais famosos para tomar notas claras e obriga-nos a sintetizar o mais possível os conceitos-chave e as suas explicações. Como funciona?

  • O primeiro passo é pegar numa folha de papel em branco e dividi-la. Deixamos um espaço no topo da folha para anotar a data, o número da página, o nome do assunto ou título do tópico..., ou seja, tudo o que nos ajuda a identificar o que são as notas e quando as tomamos.
  • Agora, e deixando também um espaço livre que ocupa a parte inferior da folha de canto a canto, dividimos a parte central com uma linha vertical em duas colunas. A coluna da esquerda, que é mais estreita, será utilizada para escrever todas as questões-chave e conceitos importantes do tópico. A coluna da direita, que é mais larga e mais espaçosa, será o local onde responderemos a estas questões-chave, escrevendo descrições e notas explicativas.
  • Finalmente, no fundo da folha, fazemos um breve resumo, de três ou quatro linhas, do que escrevemos na folha. Faremos isto de uma forma muito sintetizada, para que a informação mais importante seja clara.

Mapa de conceitos

Mapas de conceitos, muito semelhantes em forma a contornos, ajudam-nos a criar uma estrutura que apresenta visualmente os conceitos-chave do assunto a estudar. Mas se nos contornos utilizamos conectores lineares, nos mapas conceptuais formamos uma rede de 'nós' que quebram a informação do mais global para o mais concreto utilizando, além disso, palavras de ligação para tornar claras as ligações.

Para compreender, se tivermos de estudar o reino animal, escrevemos 'reino animal' no centro e escrevemos frases de ligação para explicar as diferentes classificações que iremos utilizar (por exemplo, vertebrados e invertebrados, invertebrados com ou sem protecção corporal, etc.).

Método de divisão de página

O método de página dividida é muito semelhante ao método Cornell, embora neste caso dispensaríamos o espaço abaixo para um breve resumo. Trata-se simplesmente de organizar as notas da forma mais ordenada possível, dividindo a folha em duas metades verticais. Na primeira coluna anotaríamos as ideias ou conceitos e na segunda coluna as ideias e conceitos secundários.

Porquê informatizar e imprimir as notas?

É uma questão de gosto, no entanto, escrever as suas notas e tê-las em papel ajudá-lo-á a fixar os conceitos, memorizá-los e reflectir sobre o que é mais importante. Para muitos, é uma parte fundamental do processo de estudo e memorização. A escrita estimula os processos cognitivos e depois o estudo das notas em papel obriga-nos a tirar os olhos do ecrã durante algum tempo.

Se tiver de estudar duas páginas, não importa muito o formato que escolher, mas se estamos a falar de um grande programa de estudos, a escolha do papel será a mais adequada para a sua visão. Além disso, de acordo com todos os estudos, a leitura no papel ajuda-o a assimilar a informação à sua frente e evitará a perda de lágrimas e a fadiga ocular causada por ter os olhos fixos num ecrã durante longos períodos de tempo.

Últimos artigos / ¡Presta atención, hombre!